Ciclos do sono: uma viagem pelas montanhas do inconsciente.

Podemos entender o ciclo do sono como um grande bloco composto por 4 fases do sono que se permutam durante cerca de 90 minutos. Em uma noite de sono saudável e reparadora, percorremos essas fases e ciclos durante toda a noite, ora com o sono mais leve, ora com o sono mais profundo.

As fases do sono que consideramos mais superficiais são conhecidas como N1 e N2. Temos também outras duas fases, mais difíceis de serem atingidas do que o N1 e N2, são elas: o N3, também conhecida como SOL (Sono de Ondas Lentas) - que é a fase do sono profundo - e o famoso sono REM. ndo.


As fases do sono que consideramos mais superficiais são conhecidas como N1 e N2. Temos também outras duas fases, mais difíceis de serem atingidas do que o N1 e N2, são elas: o N3, também conhecida como SOL (Sono de Ondas Lentas) - que é a fase do sono profundo - e o famoso sono REM.

São nessas duas últimas fases do sono que ocorrem a maior reparação do nosso organismo e por isso atingi-las durante o sono é fundamental para os mecanismos de memória, aprendizado, libido, controle hormonal, melhora do humor e controle cardiovascular, por exemplo. Entretanto não podemos ignorar que as fases mais superficiais também têm o seu papel e, por isso, quanto mais cíclico e estável é o nosso sono, melhor a qualidade dele.

Costumo comparar o sono com uma estrada bem asfaltada, com paisagens exuberantes entre as montanhas, cheia de curvas, subidas e descidas. O ideal é percorrermos essa estrada em um carro conversível, cabelos ao vento em um dia ensolarado. Porém, pode acontecer de furar um pneu, pegar uma chuva forte na estrada ou até mesmo descer pelo barranco...

A maior parte dos indivíduos saudáveis segue o seguinte padrão de fases de sono durante um ciclo:


1. N1

2. N2

3. N3 - SOL

4. N2

5. N1

6. Sono REM.


Depois de experimentar o sono REM, onde temos sonhos vívidos e nosso cérebro está com a atividade cerebral mais acelerada do que em qualquer outra fase do sono (sim, em uma fase de sono profunda temos atividade cerebral “a mil”) o corpo volta novamente à fase 1 e repete todas as fases até voltar novamente ao sono REM.

Este ciclo se repete algumas vezes ao longo de toda a noite e o tempo em sono REM vai aumentando em cada ciclo enquanto o N3 vai diminuindo. Ou seja, a fase do sono profundo N3 predomina na primeira metade enquanto o sono REM predomina na segunda.


Passamos por cerca de 4 a 5 ciclos de sono durante uma noite, sendo que cada um dura por volta de 90 minutos.

Por isso, um ser humano que necessita de cerca de 6 horas de sono para se sentir bem, tem cerca de 4 ciclos, enquanto outro que precisa de 9 horas de sono passa por 6 ciclos.

Sim, cada pessoa necessita de uma quantidade de tempo de sono e isso é individual e fisiológico e, por isso, as 8 horas de sono necessárias tão faladas por aí não passa de uma média!


Eu mesmo preciso de 7 horas e meia de sono!

Mais ou menos tempo do que isso pode acabar com o meu dia.


É claro que até aqui estamos falando de sono normal em indivíduos saudáveis. Tudo o que conversamos até aqui não funciona para indivíduos que apresentam algum distúrbio do sono mais grave como um quadro de apneia do sono, por exemplo.

Mesmo que um indivíduo com apneia do sono grave, durma por muito tempo, ele terá um sono fragmentado, de péssima qualidade e dificilmente atingirá o N3 ou o REM. Ou seja, mesmo dormindo muito, dormirá mal.


Por isso vale lembrar que quantidade de sono não significa qualidade.

7 visualizações0 comentário